08 junho 2014

Funcionário público neoliberal, pode?

Postado Por: Sentença  |  Em:

Funcionário público neoliberal, pode?

O neoliberalismo é uma ideologia de politicas econômicas que surgiu no inicio do seculo XX inspirada por ideias do liberalismo clássico.


O liberalismo por sua vez é uma politica econômica que surgiu no final do século XVIII. Tinha nas ideias principais a liberdade da economia, estando ela, livre da interferência de regulamentações que geralmente eram feitas pelos governos locais.


O liberalismo foi contemporâneo da revolução industrial, quando se aprofundaram as relações de patrão e operários. Nessa época ainda não existiam leis trabalhistas e o salário era definido pela lei da oferta e da procura.


No contexto da revolução industrial, a cada período eram desenvolvidas novas maquinas que substituíam o trabalho manual, resultando assim em uma menor necessidade de mão de obra, ou seja, as industrias precisavam de menores números de trabalhadores. Isso fez a oferta de mão de obra muito maior que a demanda de empregos, e consequentemente degradação das condições de trabalho e remunerações que supriam, cada vez menos, as necessidades primarias do trabalhador, levando os trabalhadores a aceitar condições de trabalho semi-escravas.


No final do seculo XIX e inicio do seculo XX foram institutas partes das leis trabalhistas como conhecemos hoje. Também nessa época, começaram a ser implementadas politicas econômicas voltadas ao estado de bem-estar.


As politicas do estado de bem-estar eram inspiradas por politicas socialistas, tinham a ideia de usar politicas de cunho social como um meio de obter eficiência econômica, colocando o estado como organizador da economia.


Em oposição a essas politicas, surgiram, de forma contemporânea, as primeiras formulações neoliberais no século XX entre as décadas de 30 e 40.


Porém, o conceito de neoliberalismo que é usado nos dias de hoje nos remete aos anos 80, quando Margareth Tatcher, implementou na Inglaterra, politicas com forte ênfase nas ideias liberais.


Como primeira ministra, Thatcher obteve grande sucesso na estabilização da libra esterlina, na dinamização da economia britânica e na redução drástica da carga tributária


A redução da carga tributária aumentou as importações, visto que os impostos protegiam o mercado interno, dando as mercadorias importadas um valor artificial mais caro. Com a queda no preço dos produtos importados, o mercado nacional inglês perdeu a falsa competitividade que aparentava ter devido ao protecionismo econômico, a produção industrial inglesa caiu, houve aumento do desemprego, aumento da concentração de renda, a porcentagem de cidadãos ingleses considerados pobres dobrou na era Tatcher.


O neoliberalismo de Tatcher incluiu, privatizações das estatais inglesas, fim do ensino gratuito público, fim dos serviços de saúde pública, o salário minimo foi quase abolido, entre outras medidas. Margareth Tatcher praticamente criou a cartilha do neoliberalismo. Isso lhe rendeu o apelido de Dama de Ferro.


O sucesso das politicas neoliberais para controle da economia chamaram a atenção dos Estados Unidos que logo se tornaram adeptos da ideologia. Nesse contexto o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, com o apoio dos Estados Unidos e Inglaterra, tiveram importante papel, principalmente a partir dos anos 90, de espalhar as politicas neoliberais pelo mundo com a mesma cartilha de privatizações e dissolução de serviços públicos implementada por Tatcher.


As politicas neoliberais chegaram no Brasil no governo do PSDB com o presidente Fernando Henrique Cardoso.


Assim como Tatcher, o governo FHC controlou a inflação e estabilizou a moeda nacional. E também como Tatcher, promoveu a concentração de renda, aumento de desemprego, privatizações e um gradual processo de sucateamento das instituições de serviços públicos como educação e saúde, tal como fez Tatcher, encaminhava um processo para culminar no fim de tais serviços.


Até hoje no Brasil, os governos do PSDB, são fortemente associados com politicas neoliberais e continuam afinanados com o discurso de politicas econômicas que agrada muito os detentores de grande capital e ameaça fortemente os trabalhadores e os direitos sociais.


Depois de tudo isso, retorno a pergunta inicial: Funcionário público neoliberal, pode?


Não é difícil encontrar em instituições públicas funcionário rogando ao PSDB como alternativa aos governos PTistas, geralmente com criticas vazias fundamentadas no discurso da 'corrupção', simples e seletiva como característica única de um governo, e em surtos psicóticos de comunistofobia que se proliferam na internet com a mesma argumentação da época da guerra fria, fundamentada pelo marketing estadunidense de combate ao avanço comunista.


Será que esses funcionários públicos sabem o que estão fazendo declarando voto em um candidato neoliberal?


Até entendo um especulador, portador de capital, encampar a campanha de um candidato neoliberal, mas um trabalhador assalariado neoliberal é uma contradição politica,social e econômica, não faz sentido lógico.


E eis que chegamos a um ponto crucial, não faz sentido logico essa escolha justamente porque os trabalhadores não sabem o que os candidatos representam, não conhecem o mínimo das politicas básicas defendidas pelo candidato, são reféns de estrategias de marketing promovidas pelos milhões escoados nas campanhas eleitorais e no interesse econômico dos meios de comunicação de massa, esses últimos grandes formadores dos discursos vazios que fomentam a abominação politica,social e econômica do funcionário público neoliberal.


Precisamos de uma revolução na informação, garanto que com a informação verdadeira veremos que um funcionário público neoliberal é uma coisa que não pode ocorrer.

Copyright © 2013 Brasil em Discussão. Traduzido Por: WST Design.