11 novembro 2013

O ATIVISMO NAS REDES EM 6 CARACTERÍSTICAS

Postado Por: Um quê de Marx Blog  |  Em:





Net-ativismo é termo utilizado pelo professor Dr. Das USP Di Felice coordenador do centro de Pesquisa Atopos e coordena pesquisas Redes digitais e sustentabilidade e Net-ativismo: ações colaborativas em redes digitais.

Desde o movimento neo-zapatista em Chiapas (1994) – que inaugurou uma nova forma de conflito divulgando seus comunicados pelas redes, conectando-se, assim, a outros movimentos sociais globais e permitindo o acesso a informações e a atuação conjunta da sociedade civil internacional que passou a desenvolver um papel ativo no conflito entre o governo mexicano e as comunidades indígenas através da rede (Di Felice e Munoz, 1998) – até os movimentos antiglobalização, surgidos após o fim da Guerra Fria, com a crise do Estado do bem-estar social e das barreiras econômicas criadas pelos monopólios multinacionais, o que se manifestou foi a assunção, através do uso de uma nova tecnologia comunicativa, de um novo protagonismo sociopolítico emerso da descentralização das redes.

Di Felice- Netativismo: novos aspectos da opinião pública em contextos digitais- Revista FAMECOS


6 características positivas do “Net-ativismo”
1 Possibilidade de acesso de todas informações
2 Debate coletivo em rede sobre a questão de interesse político
3 O fim do monopólio de controle e do agenciamento das informações por parte dos monopólios  econômicos e políticos das empresas de comunicação
4 Surge uma lógica social conectiva que se expressa na capacidade que as redes sociais digitais têm de reunir, em tempo real, uma grande quantidade de setores diversos da população
5 O advento de um novo tipo de gestão pública e de democracia
6 Mudança na relação cidadão e político- o espertar da consciência de que os eleitos são porta-vozes do eleitor e não representantes do poder absoluto

(o título original reverencia 10 características, aqui ressalto apenas 6 elementos devido a compatibilidade de ideias presentes no texto)
 
 Egito o país que o mundo acompanhou o poder ao ativismo através das redes  sociais.
   






Postagem baseada na entrevista de Di Felice para o Instituto IHU
Clique aqui para ler a entrevista na integra
Notícia original: A internet e o “orgasmo democrático” Marcos Nunes
Texto aqui postado e editado por: Nanda Luxemburg 
“Somos alguns dos milhares que ainda resistem”
 

Licença Creative CommonsEste obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

Copyright © 2013 Brasil em Discussão. Traduzido Por: WST Design.